uma nova obsessão

Brasileira com orgulho

Logo depois do começo do ano, o N. cismou de me perguntar o que eu faria “ano que vem” (depois das férias de verão daqui). Disse que não estaria mais aqui depois de julho, que estava voltando pra casa. Expliquei que minha casa era no Brasil e o assunto morreu mais ou menos por ai (ele ainda quis saber qual o nome do aeroporto em que eu chegaria, mas desistiu depois de não conseguir falar Guarulhos, haha). Isso até a última semana de folga. Ele voltou a falar desse assunto, mas agora eu estava indo para a América do Sul! Veja bem, eu nunca falei que o Brasil era na América… E muito menos que tinha uma floresta tropical! Mas segundo ele, eu vou pra América do Sul, trabalhar na floresta tropical! Good job quem tenha dito isso pra ele!

Se tem uma coisa que eu acho muito legal é que as pessoas com necessidades especiais não enxergam coisas superficiais como raça ou nacionalidade. Nunca vi nenhum caçoar do inglês dos estrangeiros. Para ele não importa que eu tenha cara de japonesa, se eu digo que sou brasileira é essa a verdade que prevalece! O N. nunca questionou porque eu ia pro Brasil, afinal, era a informação que eu tinha dado pra ele e era essa a verdade indissolúvel que ele tinha na mente dele. Porém, desconfio que alguém tenha dito alguma coisa pra ele. Que ele deva ter dito que eu ia pro Brasil e a pessoa deva ter achado que ele estava falando errado. Porque de uns dias pra cá, as vezes ele se confunde e diz que eu vou pra Ásia. Mas eu corrijo sempre: eu vou pro Brasil, pra América do Sul (e só pra não ter dúvida, eu concordo quando ele vem com a história da floresta tropical), porque, afinal de contas, eu nasci e fui criada no Brasil, eu penso como uma brasileira!

Coelhinho da Pásc-opa, não, pera!

Outro dia apareceram com um coelho lá em casa. Era um dos coelhos novos (os do ano passado aparentemente foram passear com as raposas, if you know what I mean) que ficam numa gaiola montada na grama do college. Eu não consegui me conter e tive um ataque de Felicia. Peguei o bicho e não queria largar mais! Eles são tão fofinhos!!! Sério, que bicho mais fofolucho que é o coelho!!!

Agora eu não consigo me conter, outro dia passei pela gaiola deles, abri e fui brincar com eles. Certeza que já tão com medo de mim! Só não brinquei mais com eles porque não tive tempo. Mas, meo deos, que bichos mais fofos!!! Tenho vontade de por na mala e rapta-los pro Brasil <3

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *