quando o trabalho não parece tanto trabalho assim

Não vou mentir, foi muito difícil voltar pro trabalho depois de passar 1 semana em Paris. Foi mais difícil ainda voltar a comer a comida sem graça da Inglaterra, que ficou pior ainda se comparada a cozinha francesa. Mas depois de 1 semana da volta, posso dizer que poucas vezes na vida me senti tão feliz e motivada no trabalho =).

O primeiro domingo foi muito tranquilo, saímos pra uma caminhada na floresta “oficial” (New Forest) e tomar um lanche no pub enquanto o Júnior preparava o jantar em casa.

Achei que a segunda seria péssima e na verdade nem foi. Até ficar sentada no chão da sala de aula com o aluno não foi tão ruim assim. Apesar de ele não parecer estar muito afim de ir pra aula, ele prestou atenção em tudo o que eu disse e consegui uma resposta pra tudo que perguntei (sim e não, claro). A noite foi ok, apesar de ficarmos em casa porque temos pouco staff até pra fazer uma caminhada da floresta “local”.

Ai na terça e na quarta já tive folga, deu pra descansar um pouquinho. Lavei as roupas, fiz compras de supermercado e fiquei zanzando pela casa. É bom aparecer no trabalho quando a gente tá de folga, dá pra conversar com as pessoas, mesmo que elas estejam trabalhando, haha!

Na quinta era pra ter reunião, mas não teve, e tratei de logo ir pra sala que eu sabia que ia ter uma atividade “de boas”. Fui fazer pão (com direito a sovar um pouco a massa) e comer ele quentinho depois, hehe. O D. é um dos alunos mais queridos, ele não curte muito conversar, mas super se empenha nas atividades e fica feliz com o resultado!

O almoço da sexta foi meio tenso porque tive que ficar de olho em 2 alunos e ainda teve um terceiro que queria muito carinho. Muito! Ficou me abraçando um tempão, ai na hora da distração um dos outros alunos roubou um osso de frango do meu prato e moeu todo! Pelo menos não se engasgou nem nada! E depois tive que trocar a fralda do outro aluno e foi difícil, cocô endurecido, aluno enfezado… Mas depois corri pra sala que eu gosto de ficar nas sextas e o mundo voltou a ser um lugar melhor, fiquei com o C., um dos gémeos, de quem eu estava com saudades (porque ele e outros alunos foram pra day house). Ele foi tão fofo, tava tão feliz! Talvez fosse saudades de mim também? Hehe, vou fingir que era! A noite fiquei com o J. e ele estava bem melhor do que no fim do bimestre passado, bem menos ansioso, a gente brincou e ele só deu um trabalhinho pra dormir, mas eu fingi que dormi no sofá do quarto dele e ai ele dormiu também, hehe #táticas

O sábado foi ótimo, apesar de começar cedo. Fiquei com o SM. que pode ser cansativo porque ele não pára de falar, mas ele estava muito bem, inclusive acho que ele voltou muito melhor das férias. Ri muito com ele e ele foi mesmo um amor. Foi bem prestativo e até ficou um tempo sozinho no quarto, o que é um milagre! Fomos no mercado, ele desceu pra procurar bateria na loja de conveniência e ainda almoçamos fora e ele se comportou maravilhosamente! Depois fui com o shift leader fazer compras de supermercado, foi cansativo mas foi divertido. O único ruim é que troquei o fim do sábado pra começar domingo cedo e 2 dias cedo é puxaaaaaado.

Mas o melhor de tudo é que durante a semana toda escutei de diversas pessoas que eu e o voluntário filipino somos “membros valiosos da equipe” e que eles não querem que a gente vá embora! E os turnos tem sido mesmo muito gratificantes e divertidos, todo mundo da casa forma um time bem coeso, é uma “máquina” que funciona muito bem e fica difícil pensar como vai ficar com “peças” a menos.

Eu sempre penso que eu nunca trabalhei num lugar onde eu realmente gostasse do trabalho tanto quanto aqui. Existe uma gratificação real de se trabalhar com necessidades especiais. Tipo o SM. que aprendeu que depois que ele fala “Hello” a gente sempre repete “Can you hear me?” da música da Adele e agora ele mesmo já diz as 2 coisas juntas (e é hilário!). Ou o sorriso do M. quando a gente brinca com ele. A evolução do R. que nem subia as escadas no primeiro dia dele aqui e hoje ama até um bom banho de banheira. Todas as manias do N. que todo mundo da casa já pegou (principalmente o staff)! E por ai vai…

Aquilo que eu queria, que era fazer a diferença pro mundo, acho que eu descobri como fazer <3

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *